Arquivo de abril, 2011

Humanidade

Publicado: 27/04/2011 por Flicsotera em Pensamentos
Tags:,

Somos substratos metafísicos indiferenciados. Na nossa metafórica antítese escabrosa lutamos por tudo e por coisa nenhuma no deslavar diário nas nossas mil faces envergonhadas e escondidas de nós mesmos.
(mais…)

Anúncios

Sou…

Publicado: 25/04/2011 por Flicsotera em Textos
Tags:, , ,
Esta imagem não nos pertence. Obrigada ao criador.

 

Sou o vendaval sem aragem, a partida sem viagem

Sou a espera do inexistente, a eterna dor latente

Sou a espada numa parede, pulo no trapézio sem rede

(mais…)

Coração de éter

Publicado: 25/04/2011 por Flicsotera em Textos
Tags:, , , ,
Esta imagem não nos pertence. Obrigada ao Criador

 

Lentamente esta folha de papel branco se transforma de maneira igual aos meus momentos que se alteram, no entanto, estes padecem da calmaria necessária para compor frases.

O vendaval do meu negrume não são códigos algébricos são lascas de partes de mim que para além de quebradas se me espetam na carne e o me sangue chora. Chora porque esqueceu a sua função, esqueceu a rota da sua existência e esqueceu ainda que deve ajudar na sobrevivência.

(mais…)

Amizade é tudo (2)

Publicado: 22/04/2011 por LippeCant em Músicas

(mais…)

Amizade é tudo

Publicado: 22/04/2011 por LippeCant em Músicas

Um sentimento natural
Que acontece com razão
É Deus quem escolhe
Quem vai se dar bem
A caminhada é igual
Seguindo a mesma direção
Pensando juntos nós vamos além

(mais…)

Cuidadosamente

Publicado: 19/04/2011 por Shalott L. em Citações, Criações
Tags:, , , , ,

É preciso ser paciente – respondeu a raposa. – Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, a cada dia, te sentarás mais perto…

Illecaro- Parte II

Publicado: 19/04/2011 por Flicsotera em Textos
Tags:,

Os Raios solares incidiam quentes sobre a pele acizentada de Illecaro. E essa boa sensação fizera-o fechar os olhos e absorver o momento num suspiro de paz.

(mais…)