Arquivo de agosto, 2011

Publicado: 18/08/2011 por Flicsotera em Poemas
Tags:,

Solidão que me preenche,
Nesta dança tudo é decadente.
Sou a alma dormente,
De quem te espera crente,
Na alvorada quente,
De uma dia decadente.
Sinto-me doente,
Só porque não estás presente.
Perco-me tremente,
No caminho punjente,
Sentindo a dor latente,
Porque estou ciente,
Que mais do que possivelmente,
Mesmo que sejas competente,
Não me sabes encontrar ….

Esta Imagem não nos pertence. Obrigada ao Criador.

Anúncios